Visa e suas utilidades

Eu estava no colégio Americano hoje à tarde esperando o início da aula de teatro, sentado em uma cadeira qualquer. Crianças corriam de um lado para o outro, se esbarrando, se quebrando e afins, enquanto um pai esperava por algo encostado na grade da escada.

Sua filha chegou carregando o que acredito ser um Furby ou alguma imitação paraguaia-chinesa do mesmo. Ela reclamava que o pequeno bichinho não mais funcionava. Seu pai, possivelmente um engenheiro da NASA, parente do MacGyver ou simplesmente alguém que sempre se vira bem em situações complicadas, tirou a carteira do bolso e sacou seu Cartão Visa.

Ele não era feito de ouro ou algo que o diferenciasse dos outros cartões, ele simplesmente era um Visa e nada mais. E não era Mastercard, pois havia uma barra azul logo abaixo do selo holográfico. O pai virou o bonequinho de cabeça para baixo e encaixou o Visa na cabeça do parafuso que, após libertado, daria acesso até as pilhas.

Com um espetacular trejeito, o parafuso foi retirado e a figura paterna chegou à espetacular constatação: não havia pilhas. Ele explicou isso para sua filha que saiu correndo para algum lugar o qual não vi. E com o mesmo trejeito, o pai recolocou o parafuso com seu Visa. Guardou o bicho, o cartão na carteira, fez uma cara de satisfeito com o que acabara de realizar e saiu voando pela janela, com sua capa vermelha, digo, azul e amarela, tremulando nas costas.

Tags: MacGyver história pt-br